Publicidade

Passos para Blindar Suas Finanças em Tempos de Desemprego e Crise

Basicamente a palavra crise se tornou comum no cotidiano dos cidadãos brasileiros. Afinal ela está empregada em diversos lugares, nas mídias, conversas de ciclos sociais, familiar e até mesmo nos ambientes de serviço. Uma pessoa sente bem os efeitos dessa palavra ao ir em um supermercado, ou ao comprar algum produto básico para sua sobrevivência. Já em casos de uma pessoa desempregada esse efeito pode tomar proporções ainda maiores e assustadoras. Descubra neste artigo os passos para blindar suas finanças em meio a tempos de desemprego e crise.

Efeitos da crise e desemprego

Infelizmente esses efeitos da crise acabam afetando a saúde mental dos brasileiros. De acordo com especialistas as crises financeiras estão diretamente associadas ao medo de não conseguir suprir as necessidades financeiras básicas pessoais ou familiar. Até mesmo o medo de não conseguir manter o mesmo padrão de vida, proporcionando uma baixa autoestima com o distanciamento social. Dessa maneira possuir um bom emprego com estabilidade é uma forma seguro de se possuir uma mentalidade saudável.

Os especialistas ainda afirmam que os principais problemas com transtornos psicológicos dos brasileiros estão diretamente associados a crises sobre a vida financeira. Dessa forma acabam desenvolvendo ansiedade, depressão, estresse, se tornam alcoólatras ou até mesmo cometem suicídio com suas próprias vidas.

Contudo mesmo que estes sintomas estejam sempre presentes em meio a crises, não podem ser considerados resultados apenas delas. Afinal todos eles vão depender da estrutura psicológica de cada indivíduo. Mas de um modo geral as pessoas com crenças pessoais negativas são as que tendem a desenvolver depressão, ansiedade extrema e instabilidade sobre o ambiente em que vivem.

Crise Psicológica

De acordo com um médico psiquiatra, as características de uma crise psicológica de qualquer individuo está ligada a uma perda de perspectiva sobre o futuro. Bem como juntamente associada a uma incapacidade de retomar as atitudes e ações realizadas no passado. Esses indivíduos ficam como se estivesse suspensa no ar. Onde não encontram nenhum apoio com o chão, ocasionando um grande desespero naturalmente.

Contudo mesmo sendo uma metáfora, o chão para uma pessoa que está vivendo um transtorno desse nível, é geralmente encontrado nas relações pessoais mais próximas, nas relações familiares ou até mesmo nas atividades profissional de sua preferência. Dessa forma as crises financeiras se tornam bastantes graves pelo fato de acometerem de forma igualitária. Ao mesmo instante as demais pessoas que poderiam ser uma espécie de ponto de apoio.

Assim sendo, um individuo pode ser sua identidade profissional perdida ou acabar ficando sob um alto risco iminente. Ou seja, as consequências de um cenário desse nível podem se tornar muito devastadoras para o psicológico. Além disso pode obter um grande nível de contaminação, fazendo com que isso acabe desenvolvendo uma reação em cadeia.

Basicamente essa reação em cadeia faz com que todos os indivíduos acabem se esquecendo sobre seu passado recente. Por exemplo, no caso dos brasileiros, que em meio a crise se esqueçam de ter vivido de forma boa um longo período de suas vidas.

Cautela com as finanças

Esse período menos favorável do Brasil tem feito com que as pessoas tenham adotado um comportamento de cautela extrema com as finanças. Isso porque muitos consumidores brasileiros acabaram se deixando levar pelas notícias extremamente negativas e estagnaram em grande escala o consumo.

Segundo um especialista de educação financeira, os consumidores brasileiros acabaram desenvolvendo um controle maior de seu dinheiro, o que é visto com bons olhos de forma positiva. Mas ele afirma que é indispensável o planejamento sobre as compras, sejam elas de curto a longo prazo. Dessa forma os consumidores vão conseguir mais educação sobre suas finanças.

O mesmo especialista afirma que tudo deve ser realizado dentro dos possíveis novos limites. Afinal é muito importante que todos procurem manter o mesmo estilo de vida anterior. Isso é algo muito relevante e forte para que todos continuem com estabilidade psicológica. Até porque como já mencionamos o abandono completo da realidade anterior vivenciada pode gerar transtornos psicológicos.

Uma das principais sugestões para os momentos das grandes crises sociais e que cada indivíduo busque suas características pessoais. Isso porque as crises sempre vão estar presentes e nossa realidade. Onde também sempre surgira novas formas de se viver, sendo assim as melhores condutas a serem tomadas sempre será a paciência e criatividade. Esse é um grande segredo para vencer as grandes turbulências que podem surgir em nossa vida.

Etapas de Uma Crise

Todas as crises possuem uma espécie de etapa inicial, que é que vivemos atualmente, no qual onde tudo não parece ter uma saída de escape. E realmente esse inicio é o momento mais doloroso para todos. Mas com o passar do tempo, ainda que a crise continue evidente, o psicológico humano encontra formas de se adaptar com bastante criatividade. Ou seja, acaba desenvolvendo soluções para a impasses e problemas evidentes.

De forma natural o psicológico humano vai desenvolvendo uma saída social da crise, sem ao menos que as pessoas se deem conta dessa ação. Sendo assim de forma gradual toda a sociedade vai estabelecendo atitudes que vai reconstruindo a vida dos cidadãos em geral. Mais claro que isso acontece apenas quando as pessoas se perdem em desespero imediato com os efeitos que as crises geram.

Portanto, mesmo mediante a um ambiente com crise, uma pessoa pode experimentar ter uma boa condição de seu psicológico e com muita esperança em um futuro promissor. Porém, vale ressaltar que esse resultado é alcançado mediante a uma superação mais que imediata. Dessa maneira busque colocar em sua mente que por mais que as crises possam ser difíceis e dolorosas, podem permitir mudanças e renovações positivas. De fato, isso serve tanto para um individuo quanto para uma sociedade em geral.

Positividade na mente

Mesmo que a crise atual tenha provocado um grande impacto sobre a estabilidade mental, ela pode representar para a sociedade uma grande forma de oportunidade. Segundo a APPAL (Associação de Psicologia Positiva da América Latina), todas as adversidades da vida devem ser vistas e encaradas como uma ponte para mudanças.

Afinal um indivíduo ao passar por uma determinada dificuldade acaba construindo novas estruturas para se tornar uma pessoa mais forte. Além disso existem fatores que não podem ser deixados nesse instante que enfrentamos esses momentos. Ou seja, uma pessoa sob essa situação não pode deixar de realizar atividade física, ter uma alimentação adequada e equilibrada juntamente com sono adequado.

Em seguida, sob essas situações a qualidade de nossos pensamentos também devem ser analisadas. Afinal sempre é possível, realizar uma nova interpretação do que se está vivendo. Dessa forma tudo fica mais realista e se torna menos catastrófico.

Isso porque de acordo com o educador financeiro não existe nenhum motivo para que as pessoas fiquem em desespero. Ao contrário, existem muitos motivos para que possam planejar e se adequar a situação para se fortalecer nessa fase ruim.

Por isso neste artigo separamos alguns passos para que você se blinde financeiramente contra os tempos de desemprego e crise no país.

1°- Se livrar das dívidas

Grande parte das pessoas acreditam que se livrar das dívidas em momentos de crise pode ser algo basicamente impossível.  Porém são exatamente nesses períodos que os credores disponibilizam as melhores taxas e condições para liquidação dos valores em aberto. Por isso nossa dica, é que seu primeiro passo seja resolver o problema de suas dívidas, de forma que consiga se livrar delas.

A fase de adequar seu padrão de vida na sua realidade é algo bem complicado, porém é fundamental saber observar que não é possível viver em uma realidade de vida que não condiz com sua vida. Dessa forma cortas os gatos para ganhar um folego e conseguir pagar as dívidas será sem duvidas a melhor alternativa a ser feita nesse momento. Afinal caso não se livre desse problema com emergência, os juros podem toma proporções extremas, fazendo com que sua saúde financeira seja prejudicada.

2°- Realizar um faxina sobre as finanças

Saiba que de acordo com pesquisas sobre os gastos dos brasileiros, em média 25% de nossos gastos são destinados para coisas consideradas supérfluas. É bem comum que muitas pessoas afirmem que não existe mais opções de onde reduzir os gastos de sua finança. Mas depois de uma analisa é possível observar que existem muitos gastos que podem ser reduzidos.

Primeiramente é necessário fazer um diagnostico sobre as suas finanças por um período de um mês. Anote todos os gastos, despesas, e até mesmo os lanches que come diariamente fora de casa. Após essa análise será possível ver que existe uma realidade bastante distinta do que se imagina. Porém, ressaltamos que você não pode ficar apegado a essas anotações, afinal quando elas viram rotina acabam tendo sua eficácia perdida.

3°- Momento ideal para sonhar

Ainda que esteja vivendo um cenário indesejado que parece mais um pesadelo, é necessário sonhar, estipular metas e planos. Isso porque são exatamente eles que vão fazer você ter um foco. Sendo assim o descontrole e desespero serão evitados ao máximo.

Assim, orientamos que reúna a sua família para conversas sobre os sonhos. Nesse sentido, busque dividir esse tema em três tipos. Os de curto período que são os de no máximo um ano para serem realizados. Médio prazo, que são os de dez anos. E os longo prazo que são os que necessitam de mais de dez anos para se realizar. Em conclusão defina os valores de cada e quanto deve ser poupado mensalmente para realizar cada um deles.

4°- Mudanças no orçamento

É bastante comum que as pessoas cometam o erro de imaginar que o orçamento financeiro da família consiste em realizar registros do que se ganha e subtrair pelos gastos. Como resultado, caso sobre dinheiro é considerado lucro, se faltar significa está saindo no prejuízo.

Mas, a forma mais correta, é realizar em primeira instancia um registro de todas as receitas do mês. Após isso, separar todos os valores pré-determinados para os planos da família. E apenas com o restante adequar os gastos da família em geral. Essa atitude vai fazer com que o padrão de vida familiar se force a se ajustar para os novos planos de metas da família.

5°- Aprender a realizar investimentos

As crises, consequentemente acabam fazendo com que os juros aumentem, por isso pode ser uma boa hora para investir. Mas o grande erro das pessoas é imaginar que poupar sem nenhum motivo e a melhor forma de conseguir bons níveis de rendimento. Porém no mercado financeiro existem diversas maneiras de realizar aplicações em ativos financeiros com vários riscos distintos.

Um orientador financeiro indica que uma pessoa varia os valores do investimento segundo o tempo em que vai usar o dinheiro. Ou seja, o risco de uma aplicação é diretamente associado a proporção da rentabilidade desejado pelo investidor. Isto é, quanto maior o retorno que o investidor deseja, maior será o valor que terá que aplicar. Aumentando assim grandemente as chances de riscos sobre as finanças. Por isso os especialistas indicam aos investidores bastante cautela nos investimentos.

Conclusão

Por mais que o atual momento seja de crise, existem inúmeras formas de dar a volta por cima e não perder o controle sobre a sua vida financeira. Em resumo, use isso a seu favor, e não deixe se abater pelas dificuldades. Mas use esse fator para te ajudar ter uma vida financeira ainda mais estabilizada.

Veja também:

Veja Algumas Dicas Para Acabar Com o Impulso de Comprar

Publicidade
Termos de Uso / Entrar em Contato / Política de privacidade/ Alerta © 2020 - Todos os direitos reservados.
Esse site utiliza o cookies para lhe garantir a melhor experiência No site. OK | Mais informações